Páginas

domingo, 19 de fevereiro de 2012

DEUS - A CAUSA NÃO CAUSADA

“Os céus manifestam as a Glória do Senhor, e o firmamento anuncia a Obra das suas Mãos”- Sal 19.1-12.
       Há na Bíblia a revelação de Deus, é tanto que ela começa dizendo: “No princípio criou Deus o céu e a terra, e a terra era sem forma e vazia, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” – Gen 1.1-2.
        Esse principio é inatingível a compreensão humana, ou seja, não existe ser nesta terra que tenha o poder de determinar o conceito desse princípio. Porque o princípio está com Deus e por Ele, ou melhor, por mais sábio que o homem seja ele jamais terá respostas contundentes sobre o mistério da Eternidade.
       Tudo o que sabemos sobre Deus não existe outra fonte mais precisa do que a sua Infalível Palavra, ou seja, descrevê-Lo como Ele é, é ontologicamente impossível. Destarte, alguns se acham no direito de querer entulhar o conceito de Deus de forma humana e egoística. Ou melhor, com seus argumentos filosóficos e humanísticos, pensando os tais que irão exaurir a Deus.
       Alguns por serem néscios já decretaram a morte de Deus, ou melhor, tentando passar para o mundo que o conceito de um Deus “Eterno e Soberano” são coisas dos cristãos conservadores. E com isto, fazendo com que o povo acredite em suas falácias sobre a morte de Deus, ou melhor, se tal posição fosse verdadeira o que seria do homem que por mais frágeis que seja, diria, em quem depositar a fé e esperança.
      Diante disso sabemos que acima de nós Existe Um Ser Eterno e Auto-Existente, e Esse não é outro Se não o Senhor Deus, o Criador, Imutável, Perfeito, Soberano, Infinito, Sabedor de tudo, Pai das luzes, Varão de Guerra, Jeová Rafhar, Onisciente, Onipresente, e Onipotente, ou melhor, Aquele que sabe de tudo, e o fim antes do começo. É Ele quem sustenta o Planeta terráqueo pela ação soberana de sua força criativa, ou melhor, dentre os bilhões de galáxias que existem, Ele as conhecem e tem o poder de chamar as estrelas por seus nomes.
     Ora, sendo Deus Infinito, o finito sempre estar em demanda, ou melhor, o homem que é finito nunca poderá exaurir o Senhor. E tudo o que podemos saber a seu respeito é de forma humana, ou melhor, Ele próprio nos enviou a sua Palavra para que por meio da fé pudéssemos conhecê-LO. É óbvio que esse tipo de conhecimento é experimental, ou melhor, nunca será pleno, ou seja, um dia quem sabe teremos a oportunidade de conhecê-LO e Vê-LO face a face. Embora que, sendo Deus um “Mistério no Universo”, é tanto que alguns está há anos a procura de Deus, e outros querem provar que Ele não Existe. Mas, enquanto alguns andam pensando tais asneiras, a cada dia que passa Ele continua sendo o Que É e o Que há de Ser, é tanto que disse a Moisés : “EU SOU o QUE SOU” – Êx 3.14.
     A ignorância do homem sobre Deus não vem de ontem e nem de hoje, pois desde o princípio pelo fato de Deus Ser Infinito, e as Obras de sua Criação manifestar algo de suma grandeza, o homem que é limitado tende a desacreditar que acima dele há um Ser Superior a todas as coisas. Portanto, nasceu pelo pecado (rebeldia a Deus) a incredulidade sobre o Senhor de todas as coisas. É tanto que, o homem desacredita de sua própria origem, ou melhor, acreditando numa teoria criada por Darwin, e com isto achando que a sua origem veio de um primata. E que depois foi se evoluindo, e que chegou num ponto mais evoluído e que mais tarde atingiu a estrutura que hoje é homem.
   Ora, diante da tese de teoria da evolução, desde a sua criação por Darwin, a ciência materialista nunca provou que o homem realmente veio do macaco. Pois antes da teoria o que era macaco, continuou macaco, e o que nasceu homem continua homem até hoje. Ou melhor, a teoria da evolução é uma decepção para seus criadores e adeptos, ou melhor, aqueles que se acham que podem mudar o que Deus criou morrerão e nunca verão o contrário disso. Ou melhor, por mais sábio que o homem possa ser, a sua sabedoria é humana, e não pode ultrapassar aquilo que é metafísico. Portanto, não podemos como ser finitos querer saber além daquilo que está ao nosso alcance, pois em Deus tudo se resume pela força de sua Grandeza.
    E sobre o conhecimento de Deus, ou que podemos tê-Lo, mesmo assim, nossa estrutura é sumamente humana, e não podemos ultrapassar o que está além de nós. É tanto que o profeta Oséias disse: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor” – Os 6.3.
   Destarte, queremos assim afirmar que há riquezas preciosas quando reportamos aos escritos de sua Palavra, ou melhor, lá estão escritos tudo o que queremos saber. Ou seja, não saberemos e nem desvendaremos um mistério que é sumamente ontológico a mente humana. E descrevê-LO é impossível. Ora, querer atingir o que é inatingível é coisa de quem não pensa bem, assim é o Deus que é Criador e sustentador do Universo.
    É bem verdade que, alguns já gastaram tintas e papeis tentado provar, ou melhor, que o Universo é um produto do acaso. E quanto a esta posição podemos pensar mais longe, e dizemos; e o acaso de onde surgiu? Ora, para os que são críveis, tudo é possível, ou melhor, a fé fala mais alto. Ou seja, acreditar e confiar nos mistérios do universo é verossímil a aquilo que Deus deixou registrado em sua Palavra.
    Entretanto, como teremos certeza desses fatos incontestáveis, é claro, por meio de sua Palavra. Ou melhor, o Senhor se revelou de forma brilhante que só alguém que é néscio de coração pode banir o conceito de Deus de sua vida. E o interessante é que, por mais que o homem viva e afirme que Ele não Existe, é claro que a sua Existência é inegável no Universo. Talvez a grande cartada do “Ateu” é que ele não consegue dirimir tal conceito, ou se pudesse até poderia digamos assim, mas suas decepções são absurdas porque dele o Senhor do Universo Existe e Existirá por toda a Eternidade. Destarte, fiquemos conscientes que Deus não precisa provar nada para o homem, e nem está preocupado se milhões de pessoas acreditem ou deixem de acreditar na sua Existência. Pois, Ele (Deus) Existe mesmo antes do homem, ou melhor, quem é o homem para dizer ao Criador ou duvidar do seu poder?
   No entanto, pelo Universo Deus se fez conhecido. E por meio de sua Palavra se revelou ao homem, destarte Ele respeito à posição do homem, pois incutiu dentro dele o poder de dizer sim ao que acredita, e não se não for crível. Talvez você esteja se perguntando, e é o que muitos questionam nos dias de hoje, por que será que há milhões de pessoas no mundo que acreditam em tudo, menos em Deus. E outras até se ofendem quando em gesto de respeito e amor dizemos: “Deus lhe abençoe”... Logo percebemos que há uma reação negativa por alguns. Ou seja, é o espírito relativista num mundo que acredita em tudo, ou seja, em duendes, bruxarias, religiões falsas, mas em conhecer a Verdade Eterna muitos se eximem quanto a Deus. Mas, para que esse estigma seja banido dos corações dos homens, só mediante o conhecimento de Cristo na vida, ou melhor, para isto é que Ele veio a este mundo e nos revelou Deus (O Pai), vejamos o que disse Deus por meio de João:
   “No princípio Era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” – Jo 1.1-3.
   Vejamos que João apresenta o “Verbo (Deus) do Gr. “Logos” que por sua vez significa a Palavra, ou Expressão, o Verbo que Preexistindo se encarnou entre os homens. É tanto que João não usa uma expressão por suposição, e sim, com convicção e inteira certeza de fé “Naquele que Sempre Existiu desde o Princípio”. Embora que, não sabemos quando desse “Princípio”, nem saberemos, pois como já disse que jamais atingiremos o ápice “Divino”, pois somos humanos. Ou melhor, no Princípio Deus não teve principio e nem no começo terá fim, pois Ele é apresentado neste texto por referência que nunca deixará de existir. Portanto, é O Alfa e Ômega, ou melhor, como Alfa Ele é o Princípio de tudo, de todas as coisas, e como O Ômega, Ele Permanece depois de tudo, e de todas as coisas. E ainda nos diz o texto que por Ele foram criadas todas as coisas, ou melhor, de tudo o que não existiam veio à existência pela ação de sua Palavra (Gr. Logos) verbo, a Palavra. Ou melhor, Ele (Deus) disse, falou a palavra, e aquilo que não existia veio à existência. Ele (Deus) usou o verbo do Grego “Barah”, ou melhor, que significa “Criar do nada”- no entanto, aquilo que não existia veio à existência pela ação, poder criador de um Deus que é Sumamente Eterno.
   Então, depois disso dá para se acreditar numa teoria humanística, ou melhor, que não perdura com seus argumentos materialistas? Ou seja, no princípio era Deus, e Ele criou todas as coisas, e inclusive o homem que nunca foi macaco, e nem o será. Ou melhor, aquilo que o Senhor permanece, embora que somos conscientes que dentro do conceito biológico há mudanças, mas nenhuma será feita sem a permissão Daquele que Criou todas as coisas, como no caso dos pequenos seres vivos (animais), e nunca ao humano. É tanto que, partindo de um pressuposto, a “Biologia” ciência materialista usando de suas atribuições cientifica provar que todos os seres vivos vieram do acaso. Ora, só uma mente cética é que acredita em tais conceitos. Ou não podemos jamais aferir a ciência como forma primária do que podemos acreditar em sua fundamentação, ou melhor, de que tudo supostamente veio a existência por acaso.
    Tais conceitos são em parte, ou são suposições impostas por mentes céticas e desprovidas de um conceito ortodoxo relativamente a Deus. Destarte, os conceitos céticos sobre Deus são fatos reais que acontecem há anos no mundo, e na verdade alguns acham que seus conceitos relativos a esses absurdos são irredutíveis, e com isto negam a Existência de uma Mente Superior, neste caso (DEUS). É tanto que, os ateus até conseguem incutir na mente de milhões de pessoas que o “Conceito de um Deus Criador” é coisa de quem não tem o que fazer. Ou melhor, com isto querendo explicar o que jamais poderão, ou seja, é tão absurda a posição ateísta que quem se atreveria a querer provar algo improvável? Ou melhor, para todos ateus e seus seguidores, se eles quiserem, Deus Existe e se não Existirá, todavia, até mesmo o ateu praticante consegue acreditar que no universo existe uma mente superior, e tal é O Deus Criador. Ou melhor, dentro desse conceito cético, há alguns que afirmam, como alguém combate algo que não tenha certeza de sua existência. Ou melhor, em outras palavras só o ateu querer ou provar a não existência de Deus, é claro que o “Conceito de Deus” nunca saiu de sua mente cética.
I- A MANIFESTAÇÃO DO DEUS INVISÍVEL
   Desde o passado que homens sempre tiveram o desejo de adorar a uma divindade, é tanto isto que, em Atenas encontramos algo semelhante. Mas, antes mesmo dos atenienses, já existiram outros, ou melhor, desde o começo que ao Criar o homem, Deus incutiu no seu coração  o desejo de lhe adorar e prestar lhe culto. Destarte, o homem é quem se desvirtuou do conceito relativo a Deus, ou melhor, perdeu a direção de como deveria prestar o seu culto e adorar a Deus de forma verdadeira. E com o decurso do tempo, o homem de tanto ir a busca de seu conceito de adoração, perdeu a essência verdadeira da adoração ao Divino Deus. Então daí surgiram outras formas de adorações, ou melhor, se implantou no coração do homem o que chamamos de “Vazio”, ou melhor, de tanto viver em busca de Deus, ele conseguiu perde a essência da adoração.
   Então, surgiram as “Religiões e Filosofias”, ou melhor, onde se buscou a verdadeira essência de adoração ao Divino, porém, com o chamado pluralismo religioso. E isto fez com que o homem perdesse o verdadeiro sentido de ir ao encontro do Deus Vivo e Verdadeiro. É óbvio que por mais ignorância que existisse, mesmo assim, o homem sempre esteve em busca desse “Elo Perdido”, é o que Paulo quando chegou em Atenas encontrou diversos homens expostos a sistemas religiosos e filosofando a respeito daquilo que eles mesmos não conheciam. Ou melhor, como se falar ou discutir de algo que sumamente é indiscutível, ou melhor, não podemos falar daquilo que não conhecemos. Mas, Paulo ao ver aqueles homens expostos ali tenta incutir o maior conceito crível em seus corações, ou seja, afirmando que eles conheciam e até mesmo discutiam todo tipo de conhecimento. Mas, não conheciam nada sobre o Verdadeiro Conhecimento, ou melhor, ou melhor, aquele que eles próprios desconheciam.
  Em suas mentes religiosas, supostamente tinham o conceito de diversos deuses, mas eram incapazes de discernir o “Verdadeiro Deus”, pois Ele não habita em templo feito por mãos humanas, e nem tampouco é servido pelo homem. Porém, dá a todos a respiração, a vida e leva-os a acreditar que Ele (Deus) é o Único que habita num coração contrito e verdadeiro – At 17.1-31.
   Finalizando este estudo, talvez tenha contribuído para o esclarecimento de muitos, porém, como nada é dito de uma vez por toda, ainda assim, temos muito a que discutir e escrever sobre o Maior e Inegável Mistério, Deus. Um Deus que Sumamente Eterno e Imutável, e que sempre está à procura daqueles que são fieis e verdadeiros, ou melhor, alguns já desceram a sepultura sem a verdadeira esperança, ou seja, de um dia Vê-LO Face a Face. Outros por mais simplistas que sejam, guardam consigo a esperança que não pode murchar, e por mais que sejam difíceis os fatos da vida, estão como o Patriarca Jó que disse: “Ainda que Ele me mate, todavia, Nele Confiarei...”, ou melhor, Deus é Aquele que não foi causado, ou criado, e nem pode ser exaurido pelos conceitos humanos. É Eterno, Onisciente, Onipresente, e Onipotente, Perfeito em suas Obras, Verdadeiro, Justo, Justificador, Infalível, Autor da Vida, Esperança, Todo-Poderoso, Alfa e Ômega. ELE É DEUS.
É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).
               
               
           
           

Nenhum comentário:

Postar um comentário