Páginas

sábado, 25 de agosto de 2012

O HADES – LUGAR DOS MORTOS – O CRISTÃO DESCE OU SOBE?


INTRODUÇÃO
   Há assuntos na Bíblia que às vezes nos deixam confusos, ou melhor, queremos saber além daquilo que nossas faculdades exigem, ou vão além do que possamos imaginar. É o caso do tratado na Bíblia a Doutrina do “Hades”, ou melhor, o lugar dos mortos. Pois ainda assim, há pessoas confusas no tocante a doutrina Bíblica quando se preocupam e gostariam de saber realmente para onde vão as almas e espíritos dos mortos.

I-O HADES – O MUNDO INFERIOR, OU MELHOR, O LUGAR DOS FALECIDOS:
   O Pastor Laurence Olson, nos deixou bem claro sobre a doutrina do Hades, ou seja, nos apresentando de forma Bíblica e teológica o (Hades no grego), que também significa na concepção do termo Inferno (Mt 16.18). “Ambas as palavras significam o mundo invisível, o lugar para onde vão os espíritos dos falecidos. Nunca são usadas estas apalavras em referências ao lugar final de detenção desses espíritos, e nem para significar a sepultura do corpo, cujo termo hebraico é “Queber”.
     O Testemunho total das escrituras, dos livros apócrifos, dos escritos patrisicos e mesmo livros de autores pagãos, é que o Hades (ou Seol) é o lugar onde, à morte, são recolhidos os espíritos dos falecidos, quer dos justos, quer dos injustos. Todavia, há uma confusão, e até mesmo tem surgidos heresias devidos os significados das duas palavras, Hades e Quebar.

II-ONDE ESTÁ O HADES? QUEM O HABITA?

1- Os mortos, é evidente 
Dividem-se em duas classes: Os justos e os Injustos. Dn 12.2; Jo 5.28-29. Em estudo anterior consideramos a ressurreição dos corpos, mas agora pesquisaremos acerca da habitação de seus espíritos enquanto aguardam o juízo final. A Bíblia ensina que, a morte, a alma e o espírito do homem, no caso do injusto, não seguirão imediatamente para o lugar final de castigo, mas sim que irão a um lugar temporário, à espera do juízo do Grande Trono Branco, depois do qual irão para o lugar de suplício eterno, ou seja, o lago de fogo. 
2- Os mortos – Justos  
Todos os justos, de Adão até a resurreição de Cristo ao morrerem, suas almas (com a possível exceção de Enoque e Elias) desciam ao “Paraiso”, que naquele tempo constituía um compatimento do “Seol” (Hades) no grego. Entre esse lugar e o lugar dos injustos, no mesmo “Seol”, havia uma sepração. Luc 16.26. “O Seol” ou Hades, como descrito nas escrituras, é um mundo sombrio, um lugar de detenção e espera, até para os mais santos – Dr. Seiss. No velho Testamento a morte dum patriarca é descrita como sendo “Reunido” ao seu povo – Gn 25.8; 35.29; Num 27.13. É o que significa a expressão em Lc 16.22, quando os anjos conduzem Lázaro para o seio de Abraão. A morte dum santo era uma descida da alma a certo lugar para baixo – Is 5.14; Gn 37.35; 42.38; Num 16.23. Em Is 5.14 os ímpios desciam a boca aberta do Seol (não cova ou sepultura, como traduzida em Almeida). Nas passgens de Genesis temos Jacó pensando em sua morte, dizendo .... descerei a meu filho a sepultura.

           3-Os mortos justos pós Calvário – Ef 4.8-10
         Não são poucos os cristãos que ainda vivem em dúvida com relação a vida pós morte, ou seja, não foram ensinados quanto a questão da morte. E com relação a isso, há posições de teólogos que afirmam que até o calvário todos os que morriam desciam, ou melhor, iam para o “Hades ou Sheol”. E após o Calvário, Jesus transportou esse lugar para outro, o que denominamos de “Paraiso”, ou melhor, o seio de Abraão fora transportado para um lugar melhor. E no texto acima há uma posição escrita por Paulo, que sem sombra de dúvida os cristãos da nova aliança ao morrerem não descem, e sim sobem para um lugar melhor, o que podemos entender que seja um lugar de grande alegria e gozo, é um prelúdio do céu onde habita Deus e os santos anjos. 

     Certa feita em sala de aula, alguns alunos nos questionaram sobre a questão, o que afirmei foi justamente o que está escrito na Bíblia, ou seja, o que prevalece não são nossas posições, e sim, ao que está escrito na Palavra de Deus. E para a nossa surpresa, ouvir de um jovem pastor a afirmação de que todos vão para o mesmo lugar, ou melhor, que não há separação.  
    É importante que saibamos analisar o que está escrito, ou melhor, recorrermos à ciência da interpretação Bíblica Teológica – Exegese. Para não incorrermos em erros dessa natureza. Ou melhor, o que foi já passou, e o que prevalece é justamente o que a Bíblia nos afirma hoje. É tanto verdade isso que, o próprio Paulo nos deu uma posição explicita desse privilégio espiritual afirmando assim: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais” – Ef 1.3.

   Podemos pensar o seguinte, será que Cristo após a sua obra no Calvário, iria deixar tudo conforme encontrou? Ou melhor, se Ele constituiu-nos dos mais importantes privilégios, porque haveria de nos deixar em um lugar onde se expressa as mais angustiantes tristezas e sofrimentos? Então, dessa forma fico com o que me diz a Palavra de Deus, ou melhor, onde “Tirou do Cativeiro os cativos”, e nos projetou para um lugar melhor, o que podemos concordar que seja um lugar lindo e maravilhoso, ou seja, é tão real a sua existência que não há como ser descrito, e quem nos afirmou isso foi o próprio Paulo -  II Co 12.1-4.

José Roberto de Melo É Bacharel em Teologia, Professor de Teologia Sistemática, é Escritor e estar se Graduando em Direito pela Unip Universidade Paulista  – 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário