Páginas

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

PREGADORES OU ANIMADORES DE PÚLPITOS?

Todo cristão convicto de sua fé em Deus sempre procurou viver uma vida reta diante de Cristo, igualmente, havia aquele interesse de ir à suas Igrejas para assistir o culto e adorar ao Senhor, e depois ouvir uma mensagem que edificasse suas vidas.

Mas, no decurso dos tempos, as coisas se inverteram, ou melhor, alguns cristão já não vão à seus templos com essa intenção. Pois, já fizeram pra si algo que perante Deus é abominação, ou seja, estão mais adorando ao humano (criatura) do que o Criador (Deus). Neste contexto atual não podemos eximir algumas Igrejas que até então preservavam a boa “Doutrina”. Ou seja, se mantinham afastadas de qualquer conceito extra-Bíblico, enquanto hoje suas posições são quase iguais as denominações “Neopentencostais”.

Mas, por tais posicionamentos, é inadmissível o povo de Deus não tenha o discernimento quanto a tal postura daqueles que inverteram o alvo principal, ou melhor, o evangelho de Cristo. Afirmamos que, pela Bíblia ou pelos ensinamentos doutrinários convergentes a mensagem sacrossanta de Cristo, não podemos considerar Evangelho sem “Cruz”. Ou seja, sem o comprometimento com as verdades do Senhor, ou será que não somos inteligentes para sabermos diferenciar o que o próprio Deus determinou em sua Palavra? Vejamos: “Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio, entre o que serve a Deus, e o que não serve” – Mal 3.18.

Destarte, nem todos aqueles que se diz que são pregadores ou que estão pregando, podemos os considerar dessa forma. Pois se não houver uma consistência espiritual daquilo que eles falam, então daí, há diferença. Ora, o próprio Cristo disse: “Pelos frutos conhecereis a Árvore”, ou melhor, dizer que é algo é uma coisa, mas viver aquilo que dizemos ser é muito diferente. Portanto, que nós chamemos as responsabilidades daquilo que Deus colocou em nossas mãos, e saibamos diferenciar o “Falso do Verdadeiro”.

I-PREGADORES QUE USAM MAL OS PÚLPITOS DAS IGREJAS
A Principal missão da Igreja aqui na terra é pregar as verdades do Evangelho de Cristo (Rom 1.16; Mc. 16.15-16). Então, por que alguns pregadores não estão fazendo ou obedecendo a missão de Cristo? É fácil responder, pois não estão comprometidos com as verdades de Deus, ou não são convertidos a Cristo, e sim, estão mais interessados no cachê que irá receber do que anunciar aquilo que temos por dever e obrigação diante de Deus – Jr. 23.28-30. São mercenários vestidos com capas de ovelhas, são adúlteros, e roubadores do bom senso daqueles que vão a Igreja para serem edificados com a Palavra de Cristo.

Digo que ainda há profetas de Deus, ou melhor, pregadores e ensinadores que o Senhor levantou neste Brasil e no mundo. São verdadeiros apologistas da Fé, mas infelizmente estão de bocas fechadas em suas Igrejas, pois o sistema humano é maligno e impede que os tais falem as verdades de Deus ao povo. Digo que, pra Deus não existe grande pregador, ou melhor pregador, pois o Grande, O melhor e Perfeito já Existiu aqui na terra, O Seu Filho Jesus Cristo. Depois dele os que vieram são simplesmente humanos e cheios de falhas, e que se não for a misericórdia do Senhor jamais serão ou farão a sua Obra como Ele determinou.

Portanto, Deus não nos chamou para sermos estrelas ou artistas de púlpitos, pois caem em contradição descrédito divino todos aqueles que se acham importantes neste mister. Ora,só somos capazes para entender tal fato com certeza se cumpriremos de forma cabal o ministério que recebemos das mãos do Senhor. Embora que, alguns se achem donos da Igreja de Cristo, ou do ministério do Senhor, saberão que não foram somente a eles dados o direito de serem mensageiros do reino dos céus, e sim, a todos aqueles que estão comprometidos com as verdades de Cristo Jesus.

É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário