Páginas

sábado, 21 de agosto de 2010

O OBREIRO APROVADO POR DEUS

“Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade” – II Tim 2.15.

Introdução
Ao analisarmos este texto instruído por Paulo ao jovem obreiro Timóteo, devemos atentar para o seu contexto no geral, pois se não for assim, cairemos no conceito de que o texto é para aqueles obreiros que saibam manejar bem a Palavra porque conhecem a Bíblia.
E, na verdade há pelo menos seis coisas importantes inseridos no contexto em geral, ou seja, das quais podemos tirar algumas lições concernente à obra do ministério de um obreiro aprovado por Deus.

1-A Fidelidade à chamada – II Tim 1.13 – 18.
Não se valoriza mais a posição cristã como antigamente, pois um obreiro aprovado pelo Senhor deveria andar de forma que, seus atos fossem justos e irrepreensíveis diante de um mundo relativista. Ou seja, manter a firmeza de um caráter formado em Cristo é o ápice no ministério do Obreiro, enquanto hoje, alguns se autointitulam de pastores e não andam conforme as ordenanças do Senhor.
Não importa apenas ter o nome de Obreiro, mas fazer jus o que recebeu das mãos de Cristo, ao contrário disso jamais seremos abençoados e aprovados por Deus.

2-Ser Forte na Graça, II Tim 2.1; I Tim 1.14.
Que bênção de Deus tem um Obreiro que, mesmo diante dos problemas que cercam a sua vida, mesmo assim não se hesita diante das adversidades. Ora, a “Expressão Ser Forte”, a encontramos por diversas vezes na Bíblia, ou seja, fato que nos deixa seguros das promessas de Deus a aqueles que confiam Nele. Ser forte é está consciente de que não podemos pelas nossas forças vencer os obstáculos, a força do mal, e sim, fortalecidos pela Palavra do Senhor – Ef. 6.10-12.
3-Ter Propósito, II Tim 2.3-4.
Desde a minha conversão a Cristo que sempre procurei a observar o meio a aonde vivi, ou melhor, tirando lições a minha vida. E, ao ler a biografia de Timóteo, sabendo que o mesmo era um jovem na idade e no ministério, pôde ser devidademente orientado por Paulo de forma que, o apóstolo conseguiu passar para o mesmo o que não sabia, ou seja, que era o seu “Propósito”.
Não servimos a Deus por estrelismo, ou por vaidade humana, embora que alguns estejam nessa situação, mais não são obreiros preparados para aquentar os obstáculos que vêm em suas vidas. Um obreiro aprovado é como o “Boi velho” que sempre está na frente dos demais, ou seja, consegue puxar os demais para que não percam suas forças. Pelas experiências na vida com Deus é onde nascem os propósitos na vida ministerial, ou seja, partimos de um pressuposto de que um soldado bem preparado não se faz de uma noite ao dia. E sim, com treinamentos e dedicação diante de seus comandantes.

4- A Disciplina, II Tim 2.5-10.
O conceito de disciplina tem um campo muito vasto, mas quando se trata dentro do contexto cristão e ministerial a coisa é bem mais concisa do ponto de vista ético.
Paulo dá toda a coordenada a Timóteo concernente a disciplina, e, principalmente a ministerial, ou seja, ele estava vivendo o começo de uma carreira que não podia dá errada em sua vida. Mas, agora o mesmo precisava se inteirar das verdades da Palavra de Deus. Então, a instrução foi baseada na vida de um “Atleta” que devia se comportar como tal em sua vida esportiva, ou seja, fazendo tudo aquilo que é preciso para se manter em forma. Pois do contrário, não chegará a lugar nenhum, então, dessa forma estaria reprovado como atleta. Não é diferente aquele que planta a semente, ou seja, o agricultou a princípio é o primeiro que deve provar do fruto que plantou, mas desde que seguiu a lei da disciplina profissional do campo.

5-Está seguro nas promessas de Cristo, II Tim 2.11-13.
“Fiel é a Palavra. Que se morrermos com Ele, também viveremos com Ele (Cristo)”. Tudo o que tem prometido ao seu povo são frutos daquilo que Ele mesmo disse, e o seu dizer não é revogável, ou seja, Deus cumpre a sua Palavra na vida de seus servos. Um Obreiro que conhece estas promessas não se hesita, pois dessa forma o Senhor estará lhe proporcionando tudo o que ele precisa na sua vida e ministério.
Portanto, tanto Deus é Fiel como a sua Palavra se concretiza na vida daqueles que estão sobre a sua proteção, ou seja, ainda que sejamos infiéis, todavia, O Senhor permanecerá Fiel – VS 12-13.

6-E por fim, “Aprovado”, II Tim 2.15.
O oposto disso é “Reprovado”. Ninguém é apto se não antes tenha passado pelas experiências da vida e do ministério que recebeu de Deus. Ou seja, quando o Obreiro exerce a sua função com conhecimento e desenvoltura, tudo é aprovado pelo Senhor, ou melhor, sem que tenha a reprovação.
Mas, o que é ser aprovado? É ser apontado por um grupo de pessoas? É ter a proteção de alguém? É ser bem quisto no meio da sociedade, ou entre os seus irmãos e amigos?
Ser aprovado, é ser “Escolhido” pelo Senhor dentre os milhares e milhões com uma chamada especifica a fazer um “Trabalho” que recebeu das mãos de Deus ( Jr 1.4-8). “Manejar bem, é estar cheio da Palavra, é ter convicções daquilo que Deus pode fazer por meio de suas promessas, ou seja, é aplicá-la de forma correta aos corações daqueles que precisam do Senhor Jesus Cristo.
Manejar bem, também é aplicar a Palavra em linha reta, ou seja, “utilizá-la bem, tanto em sua análise quanto em sua apresentação – em contraste com as interpretações estapafúrdias dos falsos mestres” – nota da Bíblia Anotada – pág.1525.

Conclusão. Um Obreiro que não prima pelas verdades de Deus, neste caso, não terá um ministério prospero. Portanto, precisa ir à busca daquilo que Deus quer lhe revelar, e isso não vêm da noite pra o dia, e sim, com uma vida assídua na presença e meditação da Palavra do Senhor nosso Deus.

É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).

Um comentário:

  1. a paz
    Exelente conteudo neste estudo sobre liderança .
    Deus o abençoe .
    Rosa

    ResponderExcluir