Páginas

sábado, 1 de maio de 2010

FALTAM PREGADORES NO SÉCULO XXI?

Introdução.
Há algo incomum acontecendo entre os evangélicos, pois bem, alguns estão preocupados e até mesmo questionando a razão porque não se ver mais pregadores como antigamente. É uma preocupação até um pouco fora da realidade daquilo que a Bíblia nos ensina, ou seja, parece que não se dão mais a devida importância a Palavra de Deus.
Perguntamos a seguinte razão, por que haveríamos de nos preocupar quanto a isto, ou seja, será que O Senhor não cuida de sua Obra, ou já não existe mais a fé que muda qualquer conceito? Quero de uma forma precisa discorrer sobre este tema tão importante a aqueles que estão comprometidos com a grande obra de Cristo.

I- PREGADORES DO PASSADO
Se olharmos o passado veremos que naqueles dias houve grandes homens de Deus que ficaram nas páginas da história. Ou melhor, são os exemplos que, a princípio, escreveram-na de forma que glorificamos o nome de Jesus como: Matinho Lutero, Savanarola, John Wesley, e outros. Antes deles existiram outros como, os apóstolos, o próprio Cristo, João Batista (O precursor de Jesus Cristo), Paulo, Pedro, Estevão, etc. Homens dos quais o mundo em parte, não era digno porque através deles é que o evangelho tem a sua força espiritual, pois a semente foi e será semeada até o dia da vinda do Senhor.
É óbvio que, em nosso país há grandes pregadores e ensinadores do evangelho, pois são devidamente comprometidos de forma que o nome de Deus sempre é exaltado por suas vidas. Ou seja, neste aspecto não podemos achar que a Igreja está desamparada, mas valorizar os pregadores comprometidos com a causa de Cristo é o fator prioritário neste século XXI.
É de ficarmos pensando que, antes quando nós íamos a Igreja já pensávamos de como Deus usaria o pregador ou pregadores nos congressos, cultos ou escolas Bíblicas. Todavia, eram mensagens extraídas de forma que Deus usava aqueles que se dobravam diante do Senhor para então edificar a Igreja com a mensagem do evangelho. Ressalto que, aquele que é chamado por Deus para ser mensageiro do reino, jamais deve pensar que ele é o centro das atenções, infelizmente, o estrelismo tem tomado conta da vida de alguns pregadores. Pois, eles se acham superiores a todo mundo, e ainda assim, pensam que só eles têm mensagens para a Igreja.

II-O ESTIGMA DOS MAUS PREGADORES
Depois de anos que a Igreja vive, e com seus avivamentos, ela pôde compreender o que significa a Obra de Cristo no seu contexto cristão. Porém, ela nunca perdeu o seu valor, pois o dono dela é Deus, e que sempre cuidará da melhor maneira possível. Mas, ultimamente têm surgidos homens se dizendo que são pregadores, e quando se ver são animadores de púlpitos. Que não pregam a verdadeira e Infalível Palavra de Cristo, ou seja, são os pregadores do oba a oba, e sem contar que são os verdadeiros mercenários que arrancam a lã das ovelhas.
Os tais pregam tudo aquilo o que o povo quer ouvir, mas não têm coragem de falar que o homem precisa de Deus, e que pra se aproximar do Senhor precisa deixar tudo o que não agrada lhe. E os tais pregadores, que são verdadeiros animadores de platéia, ainda dão uma de esperto, pois aonde chegam deixam suas marcas sem precedentes, e os pastores com grandes problemas para resolverem. Então se pergunta, porque ninguém freia os tais pregadores, ou melhor, os mercenários, porque eles manipulam a todos, pois pastores que antes eram conservadores hoje perderam a autoridade como líderes do povo de Deus.
Ressaltamos que, ainda existem homens de Deus que são devidamente comprometidos com as verdades do evangelho do Senhor, mas os tais não têem espaço para então ministrar a Palavra de Deus. Quem vale mais são aqueles que aparecem na Televisão, ou mesmo tem uma agenda lotada, e se alguém encontrar lugar na sua agenda do contrário, jamais você contará com ele no evento de sua Igreja. A culpa em parte é nossa, porque aceitamos que tudo isto ocorra sem que alguém barre os tais. Na verdade alguns pastores, não são todos, pois toda regra tem exceções, só convidam esses pregadores atuais porque eles dão IBOP às suas Igrejas, e na verdade estão mais interessados no montante de dinheiro que irá levantar. E no final, se alguém espremer a laranja não sairá suco. É a questão dos denominados cultos da “Benção, da Libertação, da renovação, dos sete dias etc”, mas quando se convida as pessoas para aceitarem a Cristo, ficam na mesma situação.
Não estamos aqui dizendo que não concordamos que a Igreja não deve convidar alguns homens de Deus a pregar numa festividade, e sim, que convidemos todos aqueles que são comprometidos com as verdades de Cristo Jesus. Digo que, se Jesus chegasse a certas reuniões denominadas de evangélicas, com certeza reprovaria as atitudes desses pregadores e pastores que estão mais interessados em fazerem fortunas do que pregar o santa e Infalível Palavra de Deus.
Quando o Maior Pregador de todos os tempos pregava, a multidão sempre estava ao seu lado, mas a situação era outra, ou seja, o povo acreditava no que Jesus poderia fazer por suas vidas. Ou seja, Ele sendo o Deus Todo poderoso e que poderia fazer a diferença, e tinha condições suficientes de ajudar os oprimidos, curá-los, libertá-los, etc (Luc. 4.18-20).

III-O QUE ELES PREGAM
Falam mais de si, de suas viagens, ou seja, quantas vezes viajaram de avião só para impressionar a multidão, ou melhor, pra o povo pensar que são requisitados. Não oram, não consagram suas vidas para então ministrar a Palavra de Deus, e sem contar os escândalos que deixam para trás de grandes repercussões. Talvez você esteja se perguntando; porque tais críticas, pois lhes responderei dizendo que, não estamos julgando, porém, os atos desses tais pregadores denunciam quem são eles na seara do povo do Senhor.
Não podemos ficar refém desses pseudos pregadores que não pregam nada e ainda enganam os incautos na fé. Na verdade não podemos cruzar os braços e acharmos que tudo pode ficar como estar. Creio que ainda existem pregadores sérios, homens que ao subirem nos púlpitos de suas Igrejas falam o que Deus quer que falem. Ou melhor, pregam e ensinam tudo o que Deus exige de seus profetas, que é a marca registrada daqueles que são devidamente comprometidos com a causa do Mestre Jesus Cristo. Lembrando que, ouvir muitas vezes do pastor Valdir Nunes Bícego (In-memoria), do qual fui seu discípulo em suas preleções por diversas vezes, que “nem todo o barulho Deus estar presente”. Na verdade hoje em dia vale mais quem aparece, ou arrasta multidão, mas aqueles que são seus seguidores são como árvores que não tem raízes, e nem tem certeza daquilo que Deus fez por suas vidas. Ou melhor, seguem o homem ao invés de seguirem a Cristo. Os tais no final de semana estão correndo atrás desses pseudos pregadores, na segunda-feira estão arrazados ou sem forças para seguirem no dia a dia.

IV-PREGADORES QUE IMITAM A CRISTO
Desde os meus primeiros dias de fé, mesmo convivendo numa pacata cidade do Estado de Alagoas há alguns anos atrás, pude ter o prazer de ouvir alguns homens de Deus que ao subirem nos púlpito, faziam a diferença. Eram comprometidos com as verdades de Deus, e oravam muito, pois ao abrir suas Bíblias sentíamos a Unção e a Graça imensurável de Deus em nossas vidas.
Destarte, hoje não é diferente, pois ainda existem homens de Deus devidamente comprometidos com Deus e a sua Palavra, mas no decurso de alguns tempos pra cá, coisas estranhas acontecem na ceara do povo do Senhor.
Pois, já não se ouve os pregadores que falam o que a Bíblia diz, ou seja, alguns pra agradar a multidão preferem se omitir a falar as verdades, pois o que vale é levar o povo como eles querem. Mas, quando olhamos nos conceitos da Bíblia, jamais podemos concordar com aqueles que falam o que querem, menos o que o Senhor quer que falemos (Jr. 23.28-29 e 30).
Digo que, a Igreja precisa de pregadores e não de estrelas, de homens que sejam verdadeiros, e não de animadores de cultos e Igrejas. Daqueles que quando abrem suas bocas a mensagem faz efeitos na vida daqueles que precisam ser edificados pela Palavra de Deus – Heb 4.12.
Imitar a Cristo é ser e falar igual a Cristo, ou seja, não ser omissos em palavras e ações, mas verdadeiros naquilo que o Senhor exige de cada serve seu – Ez 2.1-6.
Nada justifica que a Igreja deva ficar refém de um sistema de homens, ou seja, enquanto houver a idéia de um centralismo ministerial veremos coisas absurdas. Todavia, na Igreja Deus não tem privilegiados com exceções, pois todos somos iguais, e pregadores chamados e vocacionados por sua excelência, mas infelizmente alguns criaram um sistema que passam a impressão de que só a eles é quem Deus deu o direito de serem pregadores e ensinadores. Portanto, não estamos em crise de pregadores e nem de ensinadores, na verdade é que muitos estão calados porque não tem espaço para expor aquilo que Deus deu a eles, e dessa forma a obra do Senhor perde. Se você é pregador ou ensinador, não desista, pois tão somente faça o que foi posto em suas mãos, todavia, naquele dia receberemos tudo e sem faltar nada das Mãos Daquele que com Justiça recompensará os fiéis – “Eis que cedo venho, e o meu galardão está Comigo para dá a cada um (servo) segundo a sua obra (serviço)”...

É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário