Páginas

sábado, 8 de maio de 2010

COMO PRENDER A ATENÇÃO DAQUELES QUE NOS OUVEM

                                                        HOMILÉTICA
                                                     Texto II Tem. 2.15
INTRODUÇÃO
Há alguns anos quando aceitei a Jesus como meu Salvador, logo tive aquela vontade de pregar o evangelho, porém, sem saber como, comecei a anunciar a Cristo Jesus as pessoas. Mas, faltavam técnicas, ou seja, a formula de como se portar diante do povo, e em si, conhecer a ciência de como devemos falar e ser ouvido pelas pessoas. Da Homilética da qual hoje ministro aulas nos seminários teológicos, quero expor de forma sintetizada a sua importância no contexto ministerial, ou melhor, todos aqueles que usam o púlpito de suas Igrejas devem a priori saber dominar as técnicas da retórica. Portanto, vejamos alguns pontos que escrevemos, ou melhor, destarte, você conhererá ou terá uma visão mais ampla dessa ciência tão relevante na vida do pregador do evangelho, e de quem se comunica com o publico em geral. 

I-A HOMILÉTICA
A palavra “homilética” teve a sua origem na Grécia, quando os gregos sofistas articulavam as palavras de forma política, ou seja, dando-se a entender que o povo devia ouvir seus sermões em forma de discursos. Então daí, surgiu a origem do “Discurso” de onde por sua vez originou-se a palavra “homília” que significa conversa.
Podemos dizer que a palavra homilética, no seu sentido lato é a “Arte de Pregar o Evangelho”, ou seja, a maneira de se fazer sermões. No sentido evangélico, o pregador pode até não conhecer essa ciência, mas usa-a de forma inconsciente, ou seja, não sabendo as suas técnicas. Como por exemplo: Quando nas igrejas ou qualquer trabalho de caráter evangélico alguns irmãos pregam, mas suas pregações no sentido homilético tem seu caráter explicito na sua forma de pregar.

II-AS PESSOAS NOS OUVEM QUANDO:
1-Sabem que dominamos aquilo que pretendemos expor como verdades espirituais, ou seja, elas estão ávidas a nos ouvir porque precisam de algo sobrenatural da parte de Deus pra suas vidas.
2-Sabem que, o que estamos falando são verdades incontestáveis, ou melhor, que tudo vem da parte de Deus, pois é o Senhor usando o vaso (homem) como canal de bênçãos às suas vidas.
3-Sabem que, Deus pode mudar as suas vidas para algo melhor, pois estão cansadas, com problemas diversos, então, esperam que o pregador seja aquele que o Senhor usará para lhes proporcionar tudo o que esperam de Deus.
Ora, sabendo disso, o pregador jamais poderá abrir mãos daquilo que Deus exige de seus mensageiros. Ou seja, que todos nós fomos chamados para pregar as virtudes Daquele que nos chamou das trevas à sua maravilhosa Luz. Então, dessa forma é preciso que você conheça as técnicas da homilética, ou seja, então expor a mensagem do evangelho de forma consistente.

III-OS TIPOS DE SERMÕES
Sendo amplo o assunto que o pregador deve tomar como base ao seu ministério, é preciso que ele tome conhecimento dos tipos de sermões, ou seja, neste aspecto poderá se identificar com cada um deles. Por mais que saibamos ou conhecemos os tipos de sermões, mesmo assim, é preciso que se diga que cada sermão tem a sua particularidade.
Numa visão teológica, Deve o pregador conhecer bem cada tipo de sermão, pois neste sentido poderá se utilizar de cada um em cada ocasião. Ou seja, existem o sermão textual, o sermão temático e o sermão expositivo.
a- Sermão Textual. Este sermão é o tipo de como o pregador deve se inteirar de todos os aspectos do texto, ou seja, ele requer do pregador um conhecimento profundo do texto que ora é discorrido na mensagem. Ou melhor, é muito parecido com o sermão expositivo.
b- Sermão Temático. Este tipo de sermão é tirado de um texto completo, de uma palavra, ou de acordo com a visão teológica e Bíblica do pregador. Ou seja, quando o pregador é conhecedor profundo da Bíblia logo terá sucesso, pois neste tipo de sermão você pode classificá-lo em três tópicos com pelo menos três subtópicos.
c- E o sermão expositivo. Esse tipo de sermão requer de forma profunda um conhecimento dos fatos narrados, ou seja, se o pregador não conhece bem a história, os exemplos dos fatos, com certeza será uma canseira sem necessidade disso. Ou seja, é aconselhável que neste tipo de sermão o pregador seja um exímio pesquisador de fatos Bíblicos e históricos. Por exemplo: as parábolas, a história da briga de Davi com o gigante Golias etc. No sermão expositivo há ocasião quando o pregador tem pouco tempo e domina o assunto, pois do contrário, será até mesmo incompreendido neste particular. Não é regra, mas a maioria dos pregadores pentecostais não pregam esse tipo de sermão, enquanto que os batistas, presbiterianos e outros gostam desse tipo sermão.
V- O PREGADOR USANDO O PÚLPITO
Ressalto que, nem todo mundo nasceu pra ser um pregador, embora que, todos podem falar de Jesus porque se trata de uma missão universal à Igreja. Mas, se tratando especificamente de um pregador, digo que o lugar melhor de se falar de Jesus é onde existem pessoas ávidas a ouvirem o que Deus quer falar aos seus corações.
Neste aspecto, jamais o pregador pode escolher o lugar para pregar, pois Jesus fora o Maior de todos os pregadores, e por isso aonde chegava usava os meios como; a proa de um barco, o cume de uma montanha para pregar e também nas sinagogas quando assim ia servir ao Pai. Não existe lugar mais importante neste mundo do que “Um Púlpito”, digo assim porque é neste lugar que os anjos até queriam vir, mas a eles não fora dado à oportunidade, porém, somente aos homens. Ou seja, Deus se utilizou de todos os meios para que a mensagem de salvação, edificação fossem anunciadas pelo homem redimido pelo sangue de seu Filho Cristo Jesus.
Portanto, afirmo com muita propriedade que é o lugar mais sagrado na face da terra, ou melhor, onde Deus usa a nossa vida para restaurar corações. Existem alguns que não tomam isso como sagrado, ou seja, acham que podem falar o que pensam sem dá conta que estão no lugar de Deus, e no nome de Deus.

VI- O PREGADOR ELABORANDO O SERMÃO
Ao elaborar um sermão, você deve ter em mãos a Bíblia, alguns comentários Bíblicos, concordância, Dicionário Bíblico e também de língua Portuguesa. De preferência subsídios que trarão algo a mais no seu sermão, ou seja, sem nunca se esquecer da Bíblia, pois os livros são ótimas fontes de consultas, mas não podem substituir a Palavra de Jesus Cristo.
Lembro que um determinado estudante ou obreiro estava convidado a ministrar uma palavra numa certa ocasião, e parou para preparar o sermão e pegou uma pilha de livros, porém, quando se deu conta estava sem a Bíblia. Jamais devemos nos comportar dessa forma, porém, se vamos falar de Deus e de sua salvação, com certeza é de Cristo que podemos estar cheios.
Embora que na elaboração do sermão há alguns fatores que contribuem para a sua origem, ou melhor, quando recebemos de Deus a luz para a sua realização. Digo que o sermão nasce quando pensamos em pregar a Cristo. Portanto, você nunca deve esquecer-se de algo, pois o sermão nasce de joelho, ou seja, pela oração onde Deus abre o seu seleiro e nos revela aquilo que está em oculto. O sermão cheio de fogo do alto tem a diferença de um sermão mecânico, ou seja, aquilo sem graça. Embora que alguns pregadores não param para analisar isto, e pensam que por serem acostumados a pregar não precisem por o sermão no fogo de Deus, digo que se escrevem sermões, somente Deus é quem dá a graça a você meu querido leitor, ou melhor, não esqueça isso.

VII- O PREGADOR DEVE BUSCAR A CULTURA
Não é fácil se viver hoje em dia, pois as coisas andam muito rápidas, e jamais um homem de Deus pode se esquivar dos fatos que lhe competes. Neste sentido precisa buscar o conhecimento em todos os aspectos, pois um pregador pobre de cultura pode até ser espiritual, mas isto não lhe dá o direito de se acomodar. Então, deve ter cultura teológica e também secular, pois há na Bíblia homens que Deus usou de forma maravilhosa, eram homens do campo como “Amós que era vaqueiro”, na época de Cristo, Ele chamou alguns que eram pescadores, mas no contexto de seu ministério havia outros que era médico, funcionários públicos e etc.
Quando falamos que o pregador deve ter cultura, não estamos dizendo que só pode ser pregador quem tem cultura, mas que ele deve se puder ir a busca da mesma, primeiro a Bíblica e depois as outras fontes de consultas. Um pregador cheio de Deus, e de cultura Bíblica é uma benção nas mãos de Cristo, pois só quem ganha com isto é àqueles que terão a oportunidade de lhe ouvir. Ouvir um pregador vazio de cultura Bíblica é lamentável, e sem cultura nenhuma pior ainda, pois seus sermões são vazios e não trazem conteúdo aos ouvintes.
Portanto, seja um exímio estudante da Bíblia, pois fazendo assim você será abençoado por Deus quando estiveres pregando. Você não vai perder quando fores à busca daquilo que o Senhor nos quer revelar, esses são alguns conselhos que ora, encontramos na Bíblia, o seja, o que Paulo disse ao jovem obreiro Timóteo: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade”- II Tim 2.15. Manejar bem é conhecer os caminhos certos, a definição etimológico é cortar em linha reta algo, assim é usar a Palavra de Deus quando estamos estudando para pregar ou mesmo ensinar.
VIII- O PREGADOR E A SUA POSTURA
Infelizmente alguns se achando no direito de pregar usam dessa oportunidade para se comportar de forma que trás prejuízos à Igreja. Ou seja, não tem ética e nem postura de homem de Deus, pois suas atitudes são impensadas e jamais devem ser apreciada por aqueles que primam pelos bons costumes. Alguns agem dessa forma porque nunca aprenderam a ser servos, e jamais deveriam se comportar assim. Mas, um pregador que conhece a ética cristã deve ser um exemplo à Igreja, ou melhor, sabe chegar e sair e Deus é glorificado por sua postura como um homem do Senhor. Vejamos alguns pontos importantes:
a-Seja breve numa saudação, ou seja, se for convidado para pregar, então, você terá de 45 a 50 minutos.
b-Quando estiver pregando não olhe pra cima, e nem feche os olhos, ou seja, olhe numa direção geral para o público.
c-Sempre se apresente bem vestido, pois isso faz parte da etiqueta, ou melhor, sapatos, cabelos, e barbas feitos.
d-Seja ético, pois neste aspecto é o que precisamos fazer e ser para então cumprirmos a vontade de Deus em nossa vida. Precisamos saber que a melhor e mais sublime missão que o homem pode executar aqui na terra é ser um pregador do evangelho de Cristo. Pois, é preciso que você tenha isso como fator primordial, ou seja, aquilo que os anjos desejavam fazer fora outorgado ao homem chamado por Deus.
Sendo a matéria muito extensa, não é preciso expor tudo aqui, pois esta síntese é só pra lembrar a você o que realmente o pregador precisa se inteirar dessa ciência que faz parte de Escolas Teológicas, e Faculdades como matéria de suma importância aqueles que querem se aperfeiçoar na comunicação. Como arte deve a princípio ser levada a sério no que tange a anunciação do evangelho de Jesus Cristo, ou seja, se o pregador conhece bem a Bíblia, mas despreza a arte de falar em público, com certeza ele não comunicará bem as verdades do evangelho de Cristo. Portanto, lembremo-nos do que disse Paulo a Timóteo: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como Obreiro (pregador, ensinador) aprovado que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade” – II Tim. 2.15.
Manejar bem no que Paulo disse a Timóteo é na verdade “Cortar em linha Reta”, ou seja, em outras palavras o pregador deve conhecer bem dos assuntos que vai falar na ocasião. Dessa forma, o povo será atraído e interessado a ouvi-lo.

É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).

Um comentário:

  1. otimo,gostei,detudo que observei,quem dera que os pregadores podese fazer tudo o que o irmão falou.

    ResponderExcluir