Páginas

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

PASTORES SEM OVELHAS

Texto: João 10.11-18
“Eu sou o bom Pastor, o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas”.
Ele (Cristo) é o perfeito, o melhor, o Grande Pastor que veio mostrar aos homens o verdadeiro sentido e significado do amor imensurável de Deus O Pai.
Ao escrever estas linhas que você estar lendo, fiz uma análise dos meus anos que servimos a Cristo, e pude constatar que pela Bíblia vemos que muitas coisas que vemos hoje, estão fora da realidade. Ou melhor, ninguém pode ir de contra os preceitos de Deus, podem até querer manipular, mas jamais tirarão o verdadeiro sentido do texto sagrado.

Pois bem, se pergunta no contexto da Igreja do por que existem tantos pastores, ou melhor, hoje qualquer um é chamado de pastor, mesmo não preenchendo os requisitos Bíblicos para o ministério. Então, quando vemos são pessoas sem a devida chamada de Deus, sem moral, e sem caráter cristão formado em Cristo. E, além disso, dão enormes prejuízos à obra de Deus, pois não se comportam como homens do ministério, e andam como se tudo fosse normal do ponto de vista ministerial.

Ora, quando analisamos a Bíblia do ponto de vista ministerial, vemos que as coisas não são assim como muitos se portam, ou seja, se dizendo que são pastores. Talvez se portam assim porque alguém o fez de pastor, mas os tais não o são, pois carregar uma credencial no bolso e dizer que é pastor do ponto de vista Bíblico não que dizer que o tal o seja. As prerrogativas de um homem chamado por Deus estão explicitas na Bíblia, e não porque alguém tem carros, posição na sociedade, ou que dê altos valores à Igreja, então, dessa forma o tal está qualificado ou que preenche os requisitos ao ministério. Pensar dessa forma é ir de contra a Bíblia, ou seja, estão dando credencial de pastores a pessoas que nem pra o diaconato da Igreja serveriam. Pois, o tal ofício (diácono) é de estimo valor, pois Jesus deu o exemplo (Jo 13.1-15).

I-PRERROGATIVAS DE UM PASTOR:
Quando escrevemos sobre este ponto de vista, que fique claro que não estamos acrescentando e nem diminuindo o que Deus determinou em sua Palavra. Mas, que cada homem que recebeu do Senhor o chamado para o ministério, que faça jus o titulo que recebeu das mãos de Cristo. No que concerne ainda este ponto importante, Jesus foi incisivo em suas palavras quando disse: “Resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem ao vosso Pai (Deus) que está nos céus”- Mt 5.16.
Portanto, o pastor deve como homem do ministério viver de forma que a sua vida seja uma luz, ou melhor, que seu comportamento seja ético e moral diante de uma sociedade que busca a justiça por aqueles que pregam e ensinam a Justiça de Deus.
“Os presbíteros (pastores) que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina” – I Tim 5.17.
a-Convém pois que seja o bispo irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar – I Tim 3.2.
b-Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; - I Tim 3.3.
c-Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia – Porque se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da Igreja de Deus? – I Tim 3.4 e 5.
d-Não neófitos, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do Diabo – Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia na afronta, e no laço do Diabo – I Tim 3.6-7.

Diante de tudo o que a Bíblia diz, mesmo assim há fatos contrários à Palavra de Jesus Cristo. Ou seja, o ministério está cheio de homens escolhidos pelo próprio homem, o que é muito diferente daqueles que são escolhidos por Deus. Ou seja, se não fosse assim não haveria tantas coisas acontecendo, ou melhor, escândalos, etc.

Pela Bíblia, vemos que todos aqueles que receberam de Deus o chamado para o ministério deram frutos, e honraram de forma brilhante o seu Senhor. E é isto que Cristo espera daqueles que sabem valorizar o santo ministério que recebeu das mãos do Senhor nosso Deus. Doravante, é inadmissível que alguém que tenha um “Titulo ministerial” não seja ético, ou não saiba manusear a Bíblia, pois bem, conhecemos alguns que nem sabem ler, ou seja, não têm nenhum preparo para exercer a sua função conforme nos diz a Bíblia – I Tim 3.2 “Apto para ensinar”.

Portanto, existem pastores, ou melhor, homens dignos e que merecem a honra e respeitabilidade da Igreja e de seus fiéis porque são verdadeiros líderes que se dão à Obra de Cristo. Não podemos coadunar com pessoas que possuem o “Título de pastor”, mas não o são. Ou melhor, pastor é aquele que recebeu de Deus o direito de exercer o ministério pastoral de forma brilhante. E que sente a sensibilidade pelo rebanho que o Senhor confiou em suas mãos, e não como aqueles que mais são lobos devoradores, sem caráter, sem moral, desonestos e aproveitadores.
Concluindo estas linhas, ressaltamos que, não precisamos de pessoas que só tenham o título, mas não são verdadeiros diante de Deus e da Igreja. Os tais são pastores sem ovelhas, o que é muito diferente daqueles que são verdadeiros pastores e que são louváveis pelo ministério que exercem diante da Igreja – Jr. 3.15; Ef 4.11-12; Heb 13.17.

É proibida a reprodução desses escritos sem a devida autorização do autor, salvo pequenos trechos, e com a citação da fonte – Direitos autorais Lei 9.610/98 (Art. 184 do Código Penal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário